Bem-vindos a poesia...

Poemas urbanos que emergem a partir de situações limites do cotidiano das Megacidades. Uma forma digna de apresentar uma visão, através da poesia de Sérgio Gerônimo e Mozart Carvalho, principalmente, do cenário carioca contemporâneo.



URBANOSEMCAUSA















Corujão da Barra

Loading...

6/05/2011

R.O.T.I.N.A...

nunca morei debaixo de qualquer ponte
e nos altos das linhas topografias
somente linhas de alta tensão
épocas de rotas embaladas a algodão-doce
vivia nos ponteiros ideológicos
até que em uma faísca
raio carioca de um março capeta
os espaços dos arcos em rios
viadutos e afins transformaram-se
em lares bares e etcétera e tal
e os tolos nos montes serras em geral
corroeram as raízes sociais
inventaram comunidades
e as idades comuns legitimaram
asfalto versus morro
pobres versos ricos
brancos versos negros
risco versos pobre
ô rotina precária de imaginação
hei aonde ficou mesmo a humanidade?
Sérgio Gerônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário