Bem-vindos a poesia...

Poemas urbanos que emergem a partir de situações limites do cotidiano das Megacidades. Uma forma digna de apresentar uma visão, através da poesia de Sérgio Gerônimo e Mozart Carvalho, principalmente, do cenário carioca contemporâneo.



URBANOSEMCAUSA















Corujão da Barra

Loading...

6/25/2011

Seis horas e alguns minutos

passam das seis - a chuva cai
Corujão da poesia - Fina Estampa Ipanema.
o espelho embaça na poeira e fumaça
os olhos acesos
iluminam a crua noite vadia
o sol já se afoga no horizonte
repousa flamejante
nas lamparinas frias das esquinas
homens rastejam nas paredes úmidas
o sinal verde renuncia a esperança
a tensão viscosa da pista molhada
os carros vão em vão
e o lugar esvazia-se de ilusão
a rua turva
o homem despe-se
a moeda rola
e o mundo cai
despenca no sombrio
e obscuro deus
caos kaos caos
Mozart

Nenhum comentário:

Postar um comentário